É só uma carta de amor

Por Sílvia Espeschit

Olá, meninas!

Há quanto tempo vocês não recebem uma carta? Não, não estou falando da correspondência do banco, da conta de celular, mas de cartas de verdade. Aquelas escritas à mão, nas quais a gente já descobre de quem é só pela caligrafia.

Acredito que essas palavras que viajam até chegar ao destinatário, ganham um significado ainda mais poderoso e único! É algo tão precioso, que eu mesma tenho guardada uma caixa com várias cartas que recebi, principalmente de quando era mais nova (quando era mais comum trocar cartinhas entre amigos).

Bom, a verdade é que em tempos de e-mail, redes sociais e Whatsapp, trocar cartas é praticamente uma prova de carinho e amor, não acham? Caiu em desuso mesmo, pela agilidade que as outras formas de trocar mensagens nos oferecem.

Por isso me chamou muito a atenção a exposição “É Só Uma Carta de Amor”, que fica em cartaz até o próximo domingo no Sesc Palladium. A ideia é trocar cartas de uma maneira bem diferente: os visitantes escrevem cartas de amor, deixando-as dentro de envelopes sem um destino específico, e podem escolher algum envelope deixado por outra pessoa. Como por obra do acaso, as mensagens vão ganhando vida e sendo lidas por destinatários aleatórios.  Já estou super curiosa para saber o que vou encontrar por lá!

       

É SÓ UMA CARTA DE AMOR
Até 02 de abril, no Sesc Palladium (Rua Rio de Janeiro, 1.046, Centro).
Terça a domingo, das 9h às 21h. A entrada é gratuita.

**Sílvia Espeschit: É  jornalista, com a bagagem de 5 anos como apresentadora e produtora cultural na rádio 102,9FM. Celíaca bem resolvida, hoje mantem o blog e Instagram @minhavidasemgluten25 para dividir suas experiências, mostrando que é possível ser feliz vivendo com uma restrição alimentar.

 

Sem Respostas sobre “É só uma carta de amor”

Você precisa estar Logado para postar uma opinião.