O ENCONTRO NO DESENCONTRO  

 

Por Fernanda Mello**

A vida é uma eterna falta. E a busca desse “não sei o quê” é que nos faz, dia após dia, desejar. E seguir em frente.

Se encontraremos? É raro, sinto dizer. Faltas são exclusivamente individuais, e só nós mesmos podemos nos bastar.

O resto é consequência. Ou bônus, se assim achar melhor.

Por isso, não tente encontrar sua falta no outro. É muita responsabilidade para se jogar no ombro alheio.

Encontre-se. Aceite a SUA FALTA. Faça as pazes com você. E siga nessa jornada incansável, sabendo que você SEMPRE poderá contar com uma pessoa: você mesmo.

O RESTO? Bom, o resto é prêmio, como já disse.

Não acho divertido viver sozinho, compartilhar é uma das boas coisas da vida.

Mas viver um “status de relacionamento” buscando, no outro, o que você nunca vai conseguir ser, é um caminho tortuoso, que sempre irá gerar mágoas. E partir corações.

Pessoas são pessoas, é bom lembrar. Pessoas não são brinquedos que você desencaixa dali. E muda aqui.

Por isso, eu escrevo este texto, mais para mim, do que para vocês: não espere nada de ninguém. Não espere resolver, no outro, suas próprias faltas. SEJA A SUA FALTA. TORNE-SE A SUA FALTA. E assim, amar será (talvez) menos punk.  E terá – quem sabe? – um doce sabor de fruta mordida.   

Foto: Juliana Vaz

**Fernanda Mello: E quem eu sou? Bom, eu sou letra. Música. Paz. Amor. Palavras. Gatos. Uma pá de tatuagens espalhadas.  E muito rock´n roll! Para ser mais exata (ou, para quem não me conhece): meu nome é Fernanda Mello, sou escritora e compositora e vou estar aqui, no blog da Zás, escrevendo sobre o amor. A vida. E o feminino. Espero que curtam!

Uma Resposta sobre “O ENCONTRO NO DESENCONTRO  ”

Você precisa estar Logado para postar uma opinião.

  1. Luciana K.Ferreira

    "A vida é a arte do encontro, embora haja muito desencontro pela vida."

    By Vinicius de Moraes